Assine nosssa newsletter

Golpe do motoboy: você já ouviu falar?

Especialista dá dicas para não cair em armadilhas

E

m tempos de pandemia, muitas pessoas estão sendo alvo de quadrilhas especializadas em vários tipos de fraudes. O mais novo, conhecido como ‘golpe do motoboy’ está fazendo vítimas no país inteiro com o seguinte modus operandi: uma ligação é feita para confirmar “movimentações suspeitas” em conta corrente ou cartão de crédito; em seguida, pedem que o cliente ligue para os números de telefone disponíveis no verso do cartão; a chamada é desviada para uma central falsa, que solicita a digitação das senhas e o corte dos cartões ao meio; para concluir o golpe, a central falsa oferece o serviço de motoboy para pegar os cartões na casa da vítima.

O especialista em segurança pública e privada Leonardo Sant’Anna faz um alerta para evitar cair nessas armadilhas. “Os golpes estão cada vez mais elaborados e quem os aplica está inovando a cada dia. Vale o bom e velho poder da informação. Informem-se, não passem informações pessoais e se certifiquem com quem estão falando. Todo cuidado é pouco”, reitera.

Na avaliação do especialista, toda e qualquer situação de crise é um ambiente fértil para golpes, principalmente em idosos. “É muito cruel. Os criminosos se aproveitam da pandemia para prejudicar as pessoas mais vulneráveis, como idosos, por exemplo. Principalmente porque eles têm valores morais e sentimentais que os fazem acreditar que todos são do bem. Eles se envergonham em admitir que foram vítimas de crimes e acabam caindo de novo, explica Sant’Anna.

Vários bancos já estão mandando por e-mail informações sobre esses tipos de golpe. As empresas não pedem senhas por telefone ou links enviados por SMS ou WhatsApp. Também não é comum que as instituições financeiras mandem entregadores até a casa dos clientes. Toda e qualquer movimentação bancária desse tipo deve ser comunicada diretamente ao banco.

Dicas para não cair em golpes pelo telefone ou internet:

  • Não compartilhe fotos do cartão de crédito/débito;

  • Não passe senhas por telefone;

  • Não entregue documentos e cartões para desconhecidos;

  • Desconfie de solicitações de senha por telefone ou e-mail;

  • Não entregue seus cartões, mesmo que inutilizados;

  • Tenha cuidado ao se desfazer dos cartões. Para inutilizar, sempre destrua o chip e a tarja.

  • Ao perceber que foi vítima de alguma armadilha, procure a polícia imediatamente.

Sem comentários ainda.

O que você achou?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *