Assine nosssa newsletter

Eventos em celebração ao Dia Internacional da Mulher seguem no Conjunto Nacional no próximo fim de semana

De sexta a domingo, continua a programação preparada pelo shopping, com oficinas, palestras e debates em torno do universo feminino

E

m homenagem ao Dia Internacional da Mulher, comemorado em 08 de março, o Conjunto Nacional segue com o evento ‘Agora que São Elas’, que teve início no fim de semana passado, com uma ampla programação gratuita em torno dos principais temas da pauta mundial em relação às mulheres, abrangendo todo o universo feminino, do mercado de trabalho à beleza e autoestima. De sexta, dia 15 de março, a domingo, dia 17, continua a programação, com palestras, oficinas e workshops.

Os encontros são realizados no 1º Piso, Ala Central do shopping e toda a programação é gratuita. A curadoria do evento é da Limonada Project, que privilegiou a diversidade de área de atuação e diferentes faixas etárias das convidadas para garantir uma importante troca de experiências. “Nosso objetivo é trazer mulheres que se destacam por suas carreiras, ações, posturas e inovações para que, por meio de suas conquistas e aprendizados, possam compartilhar experiências com as clientes do Conjunto Nacional de uma forma próxima e horizontal”, explicou Cláudia Durães, gerente de Marketing do Conjunto Nacional.

SERVIÇO: Semana da Mulher “Agora que São Elas”

DIA 15 DE MARÇO – SEXTA-FEIRA

Rodas de conversas – A VOZ DA MULHER POTENTE

Das 15h às 16h: Beatriz Sabô (Vulva Política) – Saúde sexual, direitos reprodutivos e métodos contraceptivos

Beatriz Sabô é feminista, vegana, anticapitalista, cientista política de formação, mestranda em bioética e estuda direitos sexuais e reprodutivos atrelado a ginecologia autônoma e natural desde 2015. Em 2017, iniciou o Projeto Vulva Política buscando compartilhar o que anda descobrindo, experimentando e estudando com a opinião de que ter conhecimento sobre vulvas, ciclos menstruais, sinais de fertilidade e prazeres são atos políticos.

Das 16h às 17h: Mão na massa – Marcenaria para mulher moderna, com Poli Salomé

Poli Salomé é formada em Desenho Industrial / Projeto de Produto, no Rio, onde viveu por 11 anos. Estudou Marcenaria no Liceu de Artes e Ofícios e, depois, de volta à Brasília, se formou em Marcenaria Industrial pelo Senai. Há 1 ano montou a Marcenaria Salomé, na Asa Norte, e desde então vem desenvolvendo projetos pessoais e de clientes nesse espaço de experimentação, produção e workshops.

Das 17h às 20h: Workshop – Encadernação Manual, com Coletivo Sabiê 

Sabiê é bicho de cerrado. Nasceu e cresce em Brasília, voando livre desde 2017. É formado por Caroline Moreira, Bebela Moreira e Raíssa Oliveira, aprendizes, artesãs, brasilienses, artistas e empreendedoras, que acreditam no feito à mão, no saber das plantas e no respeito aos processos de produção e no consumo consciente.

DIA 16 DE MARÇO – SÁBADO

Rodas de conversas: A VOZ DA MULHER POTENTE

Das 15h às 16h: Bárbara Aguiar – A saúde mental da mulher

Bárbara Aguiar é psicóloga clínica, especialista na abordagem centrada na pessoa, e sexóloga em formação. Vem desenvolvendo um atendimento diferenciado para mulheres por meio do empoderamento feminino.

Das 17h às 19h: Workshop – Colagem intuitiva para mulheres, com Nina Coimbra

Nina Coimbra é artista, designer, cenógrafa e arte educadora. Atua há dez anos desenvolvendo currículos de educação artística para escolas, ministrando aulas e trabalha como arte educadora na Escola das Nações. É uma artista designer ativa no cenário da cidade.

DIA 17 DE MARÇO – DOMINGO

Rodas de conversas – A VOZ DA MULHER POTENTE

Das 14h às 15h: Sou mulher e #portavozdacultura, com Revista Traços 

A Revista Traços é uma publicação dedicada à promoção das iniciativas culturais do Distrito Federal e ferramenta social que promove a reinserção de pessoas em situação de rua na sociedade.

Das 16h às 17h: Amefricanas – Ativismo virtual – Seu discurso alcança todas as mulheres?

O coletivo Amefricanas nasceu em 2017 e é fruto do primeiro contato de meninas negras com o mundo acadêmico, que gerou inquietações, questionamentos e a necessidade de se encontrar em meio a uma lista de autores brancos em uma aula de Sociologia. Desde então, exploram o mundo do ativismo virtual por meio de vídeos no YouTube, na tentativa de fazer com que sua voz ecoe para além dos muros da universidade. Atualmente, seus vídeos somam cerca de 24 mil visualizações.

Das 17h às 19h: Workshop – Turbantes fazendo a sua cabeça, com Victoria Galeno e Isabelle Alves

Isabelle e Victoria são amigas e ativistas pela questão racial. Para elas, o turbante não é apenas um acessório, mas um símbolo que reconecta o povo negro oriundo da diáspora africana às suas origens. Para elas, passar as técnicas de amarrações adiante significa partilhar e dar continuidade a história.

Sem comentários ainda.

O que você achou?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *